A Capcom esclareceu alguns detalhes sobre Resident Evil 7, jogo que foi anunciado durante a E3 2016 e que conta já com uma demo, neste momento na PlayStation 4.
A companhia revelou que o jogo será jogado na primeira pessoa e que acabaram com os quick-time events, ou seja, aqueles momentos em que tínhamos que pressionar o botão que aparecia no ecrã, e que tinham sido tão criticados nos últimos jogos da série. A companhia disse ter ouvido as criticas dos fãs a Resident Evil 6 para refazer a jogabilidade e oferecer uma experiência mais aterradora.
Como é sabido a demo não é representativa do conteúdo final, mas a versão final seguirá a mesma abordagem. “O teaser é um teste do tom, em vez do conteúdo,” disse o director Koushi Nakanishi.
“Mostra todos os pilares jogáveis que terá. É focado no medo, no terror e na exploração. Os outros pilares de Resident Evil, os puzzles, gestão de recursos e combate serão mostrados em breve. Todos estão lá, mas nesta demo concentrá-mo-nos no terror. Portanto se pensam que nos afastamos do medo nos últimos anos, esta é uma declaração para dizermos que estamos de volta”.
“A câmara na primeira pessoa faz parte do conceito original para este jogo. Não foi algo decidido a meio do caminho,” decisão esta que foi tomada para dar destaque ao terror.
As plantas curativas vão estar de volta, um elemento que não aparece na demo. Haverá menos inimigos do que acontecia nos outros Resident Evil, mas eles terão agora um significado maior.
Pela primeira vez na série, a história está a ser escrita por um ocidental, Richard Pearsey, que participou em jogos como F.E.A.R. e Spec-Op.

Comentários no Facebook