A mistura de realidade com ambiente virtual tem proporcionado aos pacientes autistas a possibilidade de quebrar barreiras sociais e interagir, mesmo que de maneira limitada, com outras pessoas. Este é o caso de Adam, um adolescente britânico de 17 anos de idade que passou os últimos cinco anos de sua vida em casa, jogando Minecraft.

Via Canaltech

 

 

Comentários no Facebook