Antes mesmo do Nintendo Switch ser lançado, algumas empresas já estão apostando bastante nele. Uma delas é a Ubisoft: o diretor dos estúdios franceses, Xavier Poix, afirmou recentemente em um post no blog da empresa que considera que o novo console da Nintendo será um sucesso comercial tão grande quanto foi o Wii.

“O Wii atraiu um público muito vasto – incluindo crianças e famílias – porque oferecia, por um lado, controles de movimento que permitiam interações intuitivas com o console e, por outro, jogos com um forte componente social”, disse. “O Switch provavelmente terá um impacto semelhante graças à mobilidade oferecida pelo console”, concluiu.

Não é da boca pra fora que Poix aposta no console: a Ubisoft já anunciou três jogos que estarão disponíveis assim que o Switch for lançado. Eles serão “Just Dance 2017”, “Rayman Legends” e “Steep”. Tampouco é a primeira vez que a empresa mostra dedicação ao novo console da Nintendo: em outubro de 2016, o CEO da empresa, Yves Guillemot, disse que o Switch poderia “revolucionar o mundo dos games”.

Meta ambiciosa

Para a Nintendo e para a Ubisoft, seria maravilhoso se o Switch tivesse o mesmo sucesso que o Wii. Lançado em 2006, o console com controle por movimentos da Nintendo já vendeu mais de 100 milhões de unidades (pdf), o que o coloca na quinta colocação entre os consoles mais vendidos da história.

À frente dele ficam apenas, nessa ordem, o Playstation, o Game Boy (incluindo a versão color), o Nintendo DS e o Playstation 2. O segundo Playstation, da Sony, lidera a lista com mais de 150 milhões de unidades vendidas. Contudo, vale notar que ele foi lançado em 2000, o que dá a ele seis anos a mais de vendas que o Switch.

Capaz de funcionar tanto como console tradicional quanto como portátil, o Switch será lançado no dia 3 de março, custando US$ 300 (o equivalente a R$ 953). A Nintendo revelou uma série de novidades sobre ele na última sexta-feira, mas o mercado não se mostrou tão otimista com o novo console quanto a Ubisoft: após os anúncios, as ações da empresa caíram mais de 5%.

Comentários no Facebook